doce renuncia... me permita pousar no chão, levemente. Ah eu desejava que a luz fosse ir morrendo, conforme fecho os olhos, e só veria as fa...

Fecho os olhos,

doce renuncia... me permita pousar no chão, levemente.
Ah eu desejava que a luz fosse ir morrendo, conforme fecho os olhos, e só veria as faíscas mais leves que o ar, em um segundo de luz própria um universo inteiro de concepções.
Eu esqueceria a loucura do meu corpo, abandonaria-me aos tremores, morreria de sede e fome, derrubada por um amor, dos mais insanos, ouviria alguém me dizer:
"voce é para mim, o amor de uma vida inteira, senão de todas as outras"




quem pode culpar as mulheres por desejar ser o amor da vida de alguém?

2 comentários: