Escrever não me parece coisa que se faça à Luz do dia. Talvez por que quando minha mente está cheia de pensamentos infinitos meus olhos busq...

Sob a luz

Escrever não me parece coisa que se faça à Luz do dia. Talvez por que quando minha mente está cheia de pensamentos infinitos meus olhos busquem sozinhos as janelas e eu veja por elas um bom pedaço da cidade banhado pelo sol, e sinta que as pessoas lá fora estão menos receptivas, menos puras do que estariam durante as horas de sono...ao menos para mim.

Acho mesmo que o sol acorda qualquer coisa nas pessoas, que ele as arranca de suas camas, como se as forçasse a deixar enrolado entre os lençóis os sonhos mais delicados e movimentar o corpo para o trabalho. Amon como um senhor de escravos.

Sob a luz do Sol minha alma é pálida, minha própria luz guardada para quando for necessária nas noites sem lua.

Meu corpo busca os cantos mais escuros e frescos do apartamento, e não desejo ir lá fora, lá não me diz nada, enquanto a noite sempre chamou por mim; filha da lua... filha da lua inconstante...

2 comentários:

  1. ...linda como a lua, que deixa um vazio de saudades quando parte..
    Fresca como a brisa que sopra no fim da tarde, revigorante...
    Aguardada como a luz pálida e encantadora da noite, tifa.

    ResponderExcluir
  2. Impossível não comentar!
    Eu acho q o dia existe para os outros.

    Quando terminar muitas coisas que pretendo realizar, mudar-me-ei para um país sem dia. =D

    Talvez para a Islândia ou Finlândia...

    ResponderExcluir