"nós somos homens, o que esperava? desde que homem é homem, é o que queremos. o amor é só uma parte do contrato, cumprimos e seguimos a...

sobre a lógica irrevogavel:

"nós somos homens, o que esperava? desde que homem é homem, é o que queremos. o amor é só uma parte do contrato, cumprimos e seguimos adiante. como numa partitura, a musica segue.
voce é atraente, parece-me normal."

ele disse isso indiferente, como quem me conta um segredinho banal... o problema é que nao é banal, e devia ja ter sido contado a anos!

Tantas coisas sao completamente obvias que me recuso a pensar nelas, e entao quando menos espero estao bem ali na minha frente. Coisas como essa eu procuro evitar de pensar, como tudo o que nao foi explicito e contado nos contos de fadas: mesmo assim fazem parte...mesmo que pareça sórdido ou manchado de hipocrisia...
mas...afinal de contas...:
por que escondem isso das meninas? se é natural, nao deviam ser preparadas para isso?

5 comentários:

  1. Ele só uma parte quando as pessoas esquecem da fogueira na beira do lago. E morrem de frio, movendo-se adiante. Ou se afogam de tal forma a começar o ciclo novamente. O Problema é achar alguém que pule na água e jamais esqueça-se do fogo.

    ResponderExcluir
  2. agora tu me traduz
    numa lingua bem simples pra q eu entenda
    :P
    HAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  3. Mas todas nós sabemos disso em nossos íntimos, Sami. O contar, o avisar ou não... Iria mesmo fazer diferença? tornaria menos real? tornaria mais simples?

    As coisas são como são, desde que o mundo é mundo.

    ResponderExcluir
  4. O que me retorce de angústia é essa tendência humana ao dualismo!

    Pq inventaram que existe Homem e Mulher?
    Não dava pra "não ver" essa dualidade e taxar as pessoas de "todo mundo"?

    É gritante que as coisas são, mesmo, como tu colocas ali.... mas há pessoas que não estão nem num lado nem no outro, independente da genitália que carregam....
    E não estou falando de sexualidade. Falo de posições de respeito para com o outro e de como deixam suas emoções manifestarem-se.

    Sim. Não são a maioria. Porisso a dualidade aí, é forte como definidora.

    ResponderExcluir