... esperava um acontecimento. Como os marinheiros angustiados, lançava sobre a solidão de sua vida olhos desesperados, procurando ao longe ...

"No fundo da alma, todavia,

... esperava um acontecimento. Como os marinheiros angustiados, lançava sobre a solidão de sua vida olhos desesperados, procurando ao longe alguma vela branca nas brumas do horizonte (...) um navio de três pontes, carregado de felicidade ate as escotilhas. Mas cada manhã, ao acordar, esperava-o para aquele mesmo dia e escutava todos os ruídos, levantava-se sobressaltada, espantava-se por ele não chegar; depois, ao anoitecer, cada vez mais triste, desejava já estar no dia seguinte."

trecho de "Madame Bovary", Gustave Flaubert.

3 comentários:

  1. Ah, Samira, tu não tens nada de Emma Bovary, tão patética... E não se permita tornar-se.

    ResponderExcluir
  2. ...e quando tu vê, os dias passaram, e as coisas não mudaram. Por isso a vontade de dormir, por isso a vontade de continuar dormindo, até que algo mude. Anseios da alma, presa no corpo, até algo satisfazê-la. Acho que te entendo, tifa.

    ResponderExcluir