..."inocencia". eu, que vejo beleza em coisas que tantos julgam sórdidas, me descubro pensando que existe uma pequena fonte inoce...

...E eu me peguei pensando em

..."inocencia".
eu, que vejo beleza em coisas que tantos julgam sórdidas, me descubro pensando que existe uma pequena fonte inocente de esperanças em coisas que eu nao acredito mais... E em assuntos que eu daria por encerrados, se nao pudesem ser encerrados só com o fim de todo este espetáculo.

E penso em quem eu sou, e nessas minhas concepções perdidas ainda murmuro para mim mesma: "ninguem é considerado culpado, ate o transito em julgado de sentença condenatória"
Ora, se sao inocentes estes seres que seguem tais palavras bonitas, por que eu nao o seria tambem?

(foto de 2002)
...

O tempo sobrava e a bolsa cheia de livros pesava no ombro direito, já era noite. Não tinha o desejo de ir para casa e, recém chegada na parada de ônibus, depois de uma viagem de 30min que deveria ter levado 15, observava uma prostituta sentada no degrau de uma loja do outro lado da avenida.
Atravessou em linha reta, em direção à mulher, que levantou os olhos por um instante e olhou para outro lado. Ainda assim sentou-se no degrau ao lado dela.
"oi" - falou apenas.
"mn", resmungou a mulher
Ela tinha uma aura que cheirava a laquê barato e cigarro mentolado, que subtraía ate mesmo o cheiro de pêssego dos cabelos limpos e brilhantes, e a garota ao seu lado imaginava (e quase enxergava) o cuidado que ela tinha, o prazer que a mulher sentia em cuidar deles.
Sentiu frio. Frio de água fria vinda direto do cano, onde deveria existir um chuveiro eletrico, e nao existia.
Sem saber como, ou lembrar quem começou, elas conversaram por um longo tempo, falaram de unhas, sapatos e amores de época de escola. Mas sem mais nem menos, a mulher apagou o cigarro e perguntou "o que quer? eu nao tenho drogas..."
"eu também não tenho, não mais. Vim passar um tempo com você."- respondeu a garota.
Elas ficaram em silencio, por algum tempo. A mulher abriu a bolsa e tirou outro cigarro mentolado. Tragou com um suspiro.
A garota se levantou, ajeitou a bolsa pesada no ombro direito dizendo apenas "você vai ficar bem.." e já ia atravessar a avenida de volta quando ouviu a mulher responder:
"e tu ainda vai ser feliz, anjo."

4 comentários:

  1. Tu é realmente uma surpresa encantadora no meio deste mundo que parece não ter sentido algum. =)

    ResponderExcluir
  2. Esqueci de assinar:
    - Frede

    ResponderExcluir
  3. nao tenho nada inteligente pra comentar no momento
    sorry
    :/
    :*

    ResponderExcluir
  4. Por mais que eu negue, há coisas que são inegáveis em mim. Minha inocência é uma delas. Eu acredito nas pessoas e no que elas me mostram. Por mais que a vida me espanque e me mostre que nem todas as portas abertas dão para o paraíso, eu ainda cruzo os umbrais ornamentados pela curiosidade do que há do outro lado.
    Há quem diga que isso é viver.

    ResponderExcluir