Me sinto assim, e viva, outra vez. Nao sentia esse tipo de liberdade a tempo demais, e tive muita saudade dela. Algumas coisas precisavam te...

Livre

Me sinto assim, e viva, outra vez. Nao sentia esse tipo de liberdade a tempo demais, e tive muita saudade dela. Algumas coisas precisavam terminar, algumas conclusoes precisavam existir, (conclusoes de verdade) sobre como eu vejo o mundo, sobre o que sinto por algumas pessoas, sobre mim mesma.
Nao estou presa a mais ninguem. Ainda desejo carinho, como qualquer criatura, mas minha mente agora é...
Em algum momento ela passou a existir. Nao sabe como nem quando.
Simplesmente surgiu, os pés descalsos tocando a madeira quente do assoalho
banhado sempre pelo sol. Olhava pelas janelas, as vezes aparecia por ali um pequeno
bule de porcelana cheio de chá verde fumegante, e uma xicara acompanhada de
uma colher tambem de porcelana, mas de resto tudo era silencio e vazio completo.
Algumas pessoas apareciam rapidamente, brilhantes e vivas, e mexiam com ela, depois
desapareciam (ou perdiam a importancia e entao sumiam). Nao havia infancia dolorida
ou faltas de abraços, de lembranças, presentes ou crenças, nao havia doenças,
abusos ou amor doentio, abandonos ou gritos.
Nao havia o amor interesseiro, indigno ou falso.
A solidão nao era desagradavel, era tempo e templo das criações, das ideias puras,
da vontade que movimenta e transforma, que modela o corpo, que renova a alma,
que limpa a casa e joga fora tudo o que nao lhe serve ou acumula falhas.
Esquecia-se de dias angustiantes, das duvidas do coração, nunca saciadas.
Ela agora era dela, e só dela, de mais ninguém.


Apenas nao importar-se nao bastava.
Eu deixei o rio correr, o mundo se refez, reconfigurou-se, agora vejo com mais clareza.

Voce estava certa, pequena baunilha

3 comentários:

  1. Me lembrei disso, quase instantaneamente.

    http://sabiasbobagens.blogspot.com/2007/09/casa-vazia-poeira-sobre-os-mveis.html

    ResponderExcluir
  2. Eu ri deste aí. Tu nao tem mesmo maneiras, pertence a mim, bem sei. Mandei que tu jogasse, eis aí.

    ResponderExcluir
  3. eu que rí, quem é que disse "nunca vou comentar nada naquele lugar"?
    (e nem foi a tanto tempo assim)

    ResponderExcluir