"no fim das contas tudo é humano. obra de humanos, trabalho humano" falou olhando o teto da igreja.havia ali um grande afresco, ...



"no fim das contas tudo é humano. obra de humanos, trabalho humano" falou olhando o teto da igreja.havia ali um grande afresco, que centralizado cobria a extenção da nave.

observava perfeitamente consciente onde a criatividade do pintor (ou a verba) se esgotara.
consciente tambem do ser humano jovem, vivo e inteligente ao seu lado olhando a mesma imagem.

ambas podiam ser esmagadas com o peso daquele teto colossal, mesmo que a beirada do desenho que acabava em branco "como um adesivo" fosse algo considerado por elas como mediocre, de seu ponto de vista.

as pessoas na igreja rezavam e choravam, tocavam com as pontas dos dedos estatuas, com olhares de admiração resignada. Ninguem ali via nada de errado na imagem no teto da igreja. Talvez nao tivessem destinado àquela imagem nem um décimo da atenção das duas garotas.
"nao pense tanto" ela tinha dito. e no fim, é apenas isto.

2 comentários:

  1. - “tudo é humano”
    Esperava que fosse o que? Feito por quem?

    mas o que é estranho é aquelas imagens de 'cabeça pra baixo', tudo lá não tem lógica u.ú

    ***

    ResponderExcluir
  2. E ainda existe beleza nos defeitos do que quer que seja. Mesmo que em coisas que não possuem um fim.

    ResponderExcluir