as vezes meus olhos se abrem e eu vejo alguma lógica, na trama infalível da vida. eu jurei pra mim que ia aguentar firme e nao contar a ni...


as vezes meus olhos se abrem e eu vejo alguma lógica, na trama infalível da vida. eu jurei pra mim que ia aguentar firme e nao contar a ninguem os conflitos enormes que tem me atingido, e assim tem sido, mas nao posso evitar de filosofar infinitamente sobre isso sem parar.
é a primeira vez na minha vida que sinto medo verdadeiro,
tao forte que as vezes
quero
me enrolar em um casulo e ficar lá quentinha.

ate o mundo deixar de ser mundo, ate a terra ser agua e a agua ser terra novamente.


tambem tenho imaginado se vou perceber o momento exato em que vou sair do mundo, ja que parece faltar tao pouco tempo, e entao volta e meia me lembro do amor.

penso em como eu mudaria algumas coisas, e em como ele é injusto comigo.


mas talvez a culpa seja só minha, e meus olhos tragicos sempre encontrem a beleza no momento errado, no momento mais complicado.
é incurável. ao menos em mim.

a rosa nas minhas costas é amor incuravel.
elas sempre morrem logo.
eu fico aqui e a da minha pele tambem, marcada em mim para sempre, destinadas a ver as outras morrerem, confundindo ceus e terra, incuravel, infalivel.

Um comentário:

  1. Oi, perdõe a invasão. Achei seu perfil do orkut no fórum de Alice in Wonderland-Tim Burton. Continuei pesquisando e achei uma fotógrafa, violinista (será?), acho que também estuda música? E escreve sobre dúvidas que também me afligem. Então fiz um esforço ativo a fim de estabelecer contato. Parabéns pelo blog, não deixe de escrever. Abraços!

    ResponderExcluir